Quinha

Poesia

Textos


                          ENTREGAR-SE PRA AMAR

       As primeiras palavras doces adormecem escritas

                           No jardim da memória
                                    Imutável!
 
                           O canto em versos líricos
                                De vez em quando
             É demais encantador para justificar o viver
                 Eleva brilhos para rotina e não deixa
                      Transfigurar o esvaziar do encanto.
                                                                       
                               Sentir-se amado(a) 
                 Exige à transfiguração da matéria, sem                                              Regulamentação.
                        A entrega de corpo e alma,
                       Sintoniza-se em versos doces.
 
                     E quando: “o ou a têm indefeso na teia”
                 O amar impossível na entrega ,é possível ,
                                    Em mais amar
                           Mesmo longe do quotidiano
                        Pois ferve turbilhão de saudades
 
               E nas epidermes fluem-se suores quentes.
                      Os poros suspiram desejos
                      E almas maviosas conversam            
                            Em vão misterioso.
                                                           

 
QUINHASSILVA
Enviado por QUINHASSILVA em 22/03/2015
Alterado em 18/10/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras