Quinha

Poesia

Textos


                                      AMOR ADORMECIDO


 Quando fitei
 Os olhos
 De alma
 Renunciei razão (dor) 
 O lume da liberdade
 Veio à baila
 Inexaurível sorrisos
 Contemplaram as manhãs
 Os ímpetos que
 Arranham a carne
 Umedece na epiderme, oxitocina,
 Ascendem nas retinas
 Duas piras radiantes 
 Que degela alma em
 Cânticos castos, 
   Despertando  
  Amor adormecido


 

 

 
QUINHASSILVA
Enviado por QUINHASSILVA em 14/07/2016
Alterado em 04/10/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras