Quinha

Poesia

Textos


VOO DA LIBÉLULA
 
Se hoje fôssemos levados a um passado remoto
Reverenciava você, sempre
Colhia uma rosa amarela
Aos olhos dos sorrisos lindos

 E na noite acesa adentra
Fitava uma estrela cadente
 Declamava juras de amor
Para flamar,
Meu amor eternamente
 
Ora se pudéssemos voltar...
Mas é óbvio que não.

Somos amor recente
Que chega em voo de libélula
Pousa no meu ombro 
Tão meiga e leve
Revela em trocadinhos
  Desfechos de amor,
 
O! Linda libélula
Teus olhos têm centelhas luminosas
Cristais suspenso ao fio do meu pensamento
                 Que na espreita do tempo,
 Quanto,
  Esse voo, um dia pousou.
  Enfim
 
 
 

 
QUINHASSILVA
Enviado por QUINHASSILVA em 10/08/2015
Alterado em 24/03/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras