Quinha

Poesia

Textos


                          ENTREGAR-SE PRA AMAR

       As primeiras palavras doces adormecem escritas

                           No jardim da memória
                                    Imutável!
 
                           O canto em versos líricos
                                De vez em quando
             É demais encantador para justificar o viver
                 Eleva brilhos para rotina e não deixa
                      Transfigurar o esvaziar do encanto.
                                                                       
                               Sentir-se amado(a) 
                 Exige à transfiguração da matéria, sem                                              Regulamentação.
                        A entrega de corpo e alma,
                       Sintoniza-se em versos doces.
 
                     E quando: “o ou a têm indefeso na teia”
                 O amar impossível na entrega ,é possível ,
                                    Em mais amar
                           Mesmo longe do quotidiano
                        Pois ferve turbilhão de saudades
 
               E nas epidermes fluem-se suores quentes.
                      Os poros suspiram desejos
                      E almas maviosas conversam            
                            Em vão misterioso.
                                                           

 
QUINHASSILVA
Enviado por QUINHASSILVA em 22/03/2015
Alterado em 18/10/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras