Quinha

Poesia

Textos


SOMOS SEMPRE ASSIM
 
Trazes para mim
Os dedos eletrizados de carinhos
Nos olhos, dois sóis do meio-dia
No ventre, os açoites de desejos
A bela aurora, na janela, debruçada.
 
Trazes o perfume, onde a excita,
O sótão que enxaguo com beijinhos
Nos pousos, as gotas de um pranto
E os sóis suaves no ocaso
 
Somos sempre assim
Transbordante em desejos
 Que peito a peito sobre a cama
No laço estreito apertado
Tombamos como esquecidos
 No cair de folhas mortas
 
QUINHASSILVA
Enviado por QUINHASSILVA em 31/01/2015
Alterado em 23/09/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras